13.8.11

Resenha: Cabeça de Vento, Meg Cabot


Título: Cabeça de Vento – Cabeça de vento, vol. 1
Autor: Meg Cabot
Editora: Galera Record
Gênero: Chick lit
Páginas: 320
Publicado em: 2010
Avaliação: 3 estrelas


Emerson Watts é uma adolescente normal: não é extraordinariamente bonita, nem feia demais; é super inteligente e tira notas boas; tem um lado revoltado e até revolucionário; e seu passatempo preferido é jogar JourneyQuest com seu melhor amigo – e paixão secreta – Christopher Maloney.
Isso tudo até o dia em que ela é obrigada a acompanhar a irmã mais nova, Frida, em um evento na Stark , poderosa rede de lojas odiada por ela e Christopher, e é vítima de um grave acidente.

Quando recobra a consciência, Em descobre que seu corpo não tem mais vida, mas seu cérebro, sim. E sua nova “embalagem” é de ninguém menos que Nikki Howard, top model e principal rosto da Stark. Como se isso tudo já não fosse complicado o suficiente, o transplante de cérebro é praticamente um segredo de estado e obriga Em a viver a vida de Nikki, se afastando de tudo o que mais gosta: de sua família, dos estudos e, principalmente, de Christopher – que nem imagina que a melhor amiga está viva. Além disso, a agenda lotada da top model toma conta da vida até então normal de Em e, de quebra, ela descobre que a dona original do seu corpo tem muitos inimigos por aí e fez coisas que Em jamais faria.

Sim, a história de Cabeça de Vento é completamente fantasiosa – pelo menos até onde constam meus registros. Mas isso não quer dizer que é ruim, apenas significa que você precisa estar de mente aberta para se deixar envolver. A narrativa é bem dinâmica, o que torna a leitura fácil e rápida. Apesar de estar “presa” no corpo de uma super modelo com poucos amigos, Em é uma adolescente como outra qualquer. Por isso, é fácil se identificar com os sentimentos e preocupações da protagonista.

Em Cabeça de Vento, Meg Cabot exercita mais uma vez sua imaginação hiperativa e explora muito bem o suspense. A princípio, gostei do livro, mas ele ficou bem longe de ser um dos que eu indicaria a leitura. No entanto, depois de ler Sendo Nikki (a segunda parte da série, mais detalhes em breve), entendi que Cabeça de Vento é mais ou menos como uma (grande) introdução do livro dois, que é o que traz as emoções e tensões, além de parte da verdadeira história por trás do transplante de cérebro. E, então, agora eu posso dizer que vale a pena ler Cabeça de Vento porque Sendo Nikki é o clímax perfeito.

Hoje a resenha é de uma convidada especial: Nádia Tamanaha.
Jornalista hiperativa e imperativa. Adora livros (principalmente os de chick lit) e comédias românticas, além de ser viciada em música e bons desafios.
Contato: namanita@gmail.com
Blog pessoal: http://namanita.wordpress.com

2 Comentário(s):

Renata,  2 de outubro de 2011 22:09  

Esse livro não gostei muito...apesar de ser da Meg Cabot...acho q não o leria...não chamou muito a minha atenção

  © Blogger templates Psi by Ourblogtemplates.com 2008 | Layout por Maeva

Back to TOP